O “Grupo da Morte” no Basquetebol Olímpico Masculino

Através de um sorteio feito em Mies, Suíça, a Federação Internacional de Basquetebol, Fiba, fez definição de chaves da fase preliminar em relação aos torneios masculino e feminino do basquetebol referentes aos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Entre o masculino, houve formação do “grupo da morte”, incluindo Espanha, Brasil, Argentina, Nigéria, Lituânia, e mais um com classificação em Pré-Olímpico Mundial, a ter disputa no mês de julho.

Os 4 primeiros de cada grupo fazem avanço para quartas de final, e o Brasil deve definir a própria sorte contra Argentina e Nigéria em últimas partidas da fase inicial. Estados Unidos, de incríveis Lebron James e Stephen Curry, seguirão na procura de tricampeonato das Olimpíadas.

E se fizerem confirmação de favoritismo e partirem de líder em grupo A, que apresenta ainda Austrália, China e Venezuela, disputam com quarto colocado em relação ao “grupo da morte”. Em torneio entre mulheres, os Estados Unidos que são pentacampeões Olímpicos, permanecem em grupo B.

Isso com Sérvia, Senegal, Canadá e duas seleções que ainda procuram vagas em Pré-Olímpico que terá disputa em Nantes, França, entre datas 13 e 19 do mês de junho. O Brasil se encontra em grupo A, junto com Austrália, Japão e mais 3 equipes que também serão determinadas da disputa em Nantes.

Haverá partidas incríveis para masculino e feminino, em relação ao que se espera dos jogos já pela fase inicial das Olimpíadas. Entre os homens, em grupo B, Brasil contra Espanha, Brasil contra Argentina, e Brasil contra Lituânia. Em relação às mulheres, já pela estréia, o país vai enfrentar Austrália, grande seleção.

A partida decisiva à classificação da seleção do Brasil feminina se caracterizará contra Japão. Em masculino, haverá Estados Unidos contra China, disputa que vem se transformando tradicional em últimos internacionais.

Favoritismo nos Jogos

O favoritismo pelos Estados Unidos na modalidade é superior entre mulheres. A seleção americana feminina se resume pentacampeã das Olimpíadas. Não é derrotada em uma partida nas Olimpíadas desde o ano 1992, quando sucumbiram à seleção composta pelas jogadoras das repúblicas que integraram a União Soviética.

A Austrália, desde 1996 se encontra sempre em pódio, com 3 pratas e 2 bronzes, geralmente é uma rival de força, sendo a primeira adversária em relação ao Brasil, companheiro em grupo B. Entre forças intermediárias, surgem Espanha que é vice-campeã mundial no ano 2014, e França, prata no ano 2012, ainda sem classificação.

Compartilhe

Deixe uma resposta

FOLLOW @ INSTAGRAM